Nov.04

Taxa de Rejeição, como entender – Parte 1

Taxa de Rejeição, como entender – Parte 1

E ai pessoal, beleza?

Eu ia fazer um único post sobre o assunto, mas infelizmente o texto ficou grande e não quero jogar muita informação para vocês absorverem. Então, hoje a gente vai tratar de uma parte importante sobre as Taxas de Rejeição: Como entender as taxas e identificar se elas são ruins.

Semana que vem vou postar a segunda parte mostrando como utilizar isso a seu favor.

Se você está tentando entender por que seu site não está produzindo os resultados desejados, o Bounce Rate (taxa de rejeição) pode ser um indicador muito útil de onde os problemas podem estar ocorrendo. Uma alta taxa de rejeição é geralmente ruim: Significa que os visitantes estão entrando em uma página e em seguida, saindo sem dar prosseguimento a qualquer ação.

Olhando para a taxa de rejeição de cada página, você pode identificar quais páginas em particular, estão deixando a desejar. Pelo menos, essa é a teoria; na realidade é um pouco mais complicado do que isso.

Entendendo a taxa de rejeição

Primeiro de tudo, é essencial diferenciar taxa de rejeição e taxa de saída.

Simplificando, a taxa de rejeição se aplica quando apenas uma página no site é visitada, enquanto a taxa de saída aplica-se à última página visitada, independente de quantas outras páginas foram visitadas na mesma sessão.

Por exemplo, a Stephanie visita sua home page, olha para ela por alguns minutos, em seguida, vai para outro site ou fecha o seu navegador. Isso é um Bounce (salto), e a taxa de rejeição para sua home page aumenta.

Já a Júlia visita sua home page, em seguida, entra na página ‘Quem Somos’, então na sua página de ‘Contato’ e, em seguida, sai do seu site. Isso não configura rejeição, mas a taxa de saída para sua página de Contato sobe.

A taxa de rejeição de um site ou página não tem sentido de forma isolada. Então para que ela seja útil, precisamos entender seu contexto. Por exemplo, as taxas de rejeição aceitáveis variam muito, dependendo do tipo de site.

O Google Analytics fornece os seguintes parâmetros de referência:

40-60% – sites de conteúdo
30-50% – sites de geração de chumbo
70-98% – Blogs
20-40% – sites de varejo
10-30% – sites de Serviços
70-90% – As páginas de destino

Então, por que a variação? A resposta curta é que utilizamos locais diferentes para coisas diferentes. Uma taxa de rejeição aceitável de 70% – 98% para um blog parece ser muito alta, mas não se você realmente pensar em como isso pode ocorrer.

Por exemplo, a Mylena quer saber mais sobre Google Analytics e está tentando descobrir tudo que ele oferece; ela busca por “Taxa de rejeição” no Google, e entre os resultados estão os links para vários artigos, incluindo este. Ela clicou no link e agora está lendo este post. Quando terminar de ler, ela vai voltar para a página de resultados e clicar no link de outro artigo em um blog diferente.

Isso constitui uma rejeição, mas não indica uma experiência negativa. Por outro lado, para um site de varejo uma alta taxa de rejeição é geralmente um mau sinal. Nosso comportamento ao usar um site de varejo tende a envolver mais navegação ou usando uma busca interna. Se um visitante sair imediatamente, isso significa que ele não quis se ir mais longe, e ele definitivamente não vai comprar nada.

Claro que mesmo assim, existem exceções. Por exemplo, eu quero saber o quanto uma ‘Loja X’ cobra para entregar em casa, então eu faço uma pesquisa por “custos de entrega da Loja X”. O Google dá o link para a página com as informações que eu preciso; Eu visito a página, em seguida, fecho o navegador.

O questão aqui é que, mesmo dentro de sites que têm taxas de rejeição inferiores aceitáveis há certas páginas onde uma taxa mais elevada é aceitável.

Uma taxa de rejeição alta pode ser boa?

Na verdade, pode-se argumentar que, num caso como este, uma alta taxa de rejeição é realmente uma coisa boa. O usuário queria encontrar um pedaço específico de informações, o usuário fez uma busca simples e encontrou exatamente o que ele estava procurando.

Páginas de contato são um bom exemplo disto, particularmente quando o site é criado para algo como um restaurante, onde os visitantes estão procurando os horários e um número de telefone. Para determinar se a taxa de rejeição é boa ou ruim, é importante considerar se a página em questão é um ponto de entrada comum.

Em outras palavras, você pode esperar muitas visitas direto nesta página ou essa página deveria ser acessada depois do usuário navegar pelo site?

Lembre-se que a taxa de rejeição é uma percentagem, por isso, se um visitante acessar o que você considera ser uma página interna e sai imediatamente, você vai ter uma taxa de rejeição de 100% – os 200 outros usuários que viram a mesma página antes e/ou depois de outras páginas em seu site não são contados aqui.

Isso é sempre importante?

Existem sites com várias páginas onde as taxas de rejeição não fazem sentido. Páginas de inscrição e páginas de confirmação de envio nunca devem ser páginas de entrada (ou seja, a primeira página visitada) nesses casos uma taxa de rejeição pode de fato indicar que há algo estranho acontecendo em algum lugar.

Você precisa entender primeiro como os visitantes estão acessando essas páginas como entrada. A estatística significativa para check-out e carrinho de compras é a taxa de saída. Se o usuário entrou e saiu isso mostra que ele acessou a página por acidente, enquanto que uma saída durante o processo de navegação indica uma desistência durante o processo de compra; e identificar o ponto de saída é o que é útil aqui.

Outra óbvia exceção à regra “alta taxa de rejeição = ruim” são sites com páginas individuais, e existem muitos sites assim. As tendências recentes em web design, para sites feitos em Parallax e JavaScript, favorecem a criação de sites com uma página só. Além disso, eles funcionam bem com design responsivo. Neste caso, uma alta taxa de rejeição não faz sentido algum já que não há outro lugar para ir.

A fim de obter dados significativos sobre o comportamento do usuário em um único local na página, o Google recomenda a adição de eventos que podem ser rastreados.

Conclusão:

É muito importante conhecer seu publico e seu site.
As taxas de rejeição são indicadores comportamentais de acesso ao seu conteúdo na internet.

Use o que eu ensinei no texto acima para definir se o comportamento dos seus visitantes se encaixa no que você espera deles.

Na próxima semana, vou ensinar o que fazer para melhorar esse comportamento e ajudar os visitantes do seu site a conseguir exatamente o que eles e você pretendem.

Compartilhe isso:
  • facebook
  • twitter
  • gplus

Sobre R.Junior

Deixe um comentário